Associação de cidades históricas reúne-se em Itapecerica e lança manifesto pela cultura de Minas Gerais

18/12/2018

 

Danilo Moreira

 

Na última quinta-feira, dia 13 de dezembro, aconteceu em Itapecerica uma reunião da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais (ACHMG), a última do ano de 2018. O encontro contou com a participação do secretário de Estado de Cultura, Ângelo Oswaldo, e também de prefeitos e secretários de diversos municípios mineiros.

 

O presidente da ACHMG e prefeito de Conceição do Mato Dentro, José Fernando de Oliveira, afirmou que os gestores das cidades histórias estão “muito preocupados”. “Não podemos permitir que tenhamos retrocesso na política cultural do nosso estado, uma vez que a cultura é a base da cidadania. Um povo sem cultura é um povo sem destino, sem rumo”, ressaltou, ao discursar pela permanência da Secretaria de Cultura no estado.

 

Realizada no Hotel Fazenda Palestina, a iniciativa teve como pauta, basicamente, a preocupação da entidade para com as políticas ligadas à cultura em Minas Gerais a partir de 2019. Duas cartas, ambas destinadas ao governador eleito Romeu Zema, foram produzidas a partir das discussões apresentadas na reunião.

 

A primeira, denominada “Carta de Itapecerica”, trata-se de um manifesto da Associação em prol da atenção do futuro governo para com a área de cultura, patrimônio histórico e turismo. O grupo enfatizou a necessidade da manutenção da pasta de Cultura enquanto Secretaria de Estado e solicitou atenção especial do governo Zema para a área.

 

A expectativa do prefeito de Itapecerica, Wirley Reis, o Têko, por exemplo, é bastante positiva em relação aos resultados que podem vir desta carta. “Esperamos novas ideias e propostas para que, nos próximos anos, a cultura, o turismo e o patrimônio possam ter um olhar diferenciado nesse novo governo que se inicia em 2019. Temos esperança de que possamos realizar os nossos sonhos para a nossa cidade e para a nossa cultura”, declarou.

 

Secretário homenageado

Já a segunda carta requisitou a permanência do atual secretário Ângelo Oswaldo à frente da Cultura mineira também no próximo governo. A ACHMG destacou o currículo de Ângelo que, presente na ocasião, afirmou que tal indicação foi uma surpresa e que subscreveria apenas o primeiro manifesto. “Se temos uma Secretaria, é porque o governo vai praticar uma política pública e isso é importante para melhores condições de vida para todos”, pontuou.

 

O secretário também foi homenageado pela Associação pelos serviços prestados na área envolvendo a cultura, a conservação de patrimônio histórico e o turismo. “Muito me sensibiliza esse gesto generoso dos prefeitos ao término da minha missão na secretaria. É um reconhecimento que levo com muito carinho”, disse em tom emocionado. Em 2017, Ângelo esteve em Itapecerica – relembre clicando aqui.

 

Posicionamento do novo Governo

O futuro governo Zema, inclusive, teve um representante na reunião. O assessor Bernardo Brandão, ligado ao vice-governador eleito Paulo Brant, foi o responsável por receber as solicitações feitas pela ACHMG. “A cultura tem uma potência muito grande na economia do nosso estado. Este governo não vai deixar a cultura de lado e entende a real importância da mesma para Minas Gerais”, explicou, em entrevista à Folha de Itapecerica.

 

Fotos: Danilo Moreira / Folha de Itapecerica

Álbum de Fotos

Ver todas as fotos

VOLTAR